Translate

Quem sou eu

Total de visualizações de página

Seguidores

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O luar testemunhou

Naquela noite o amor caminhava soliário, sem rumo,
pisando quieto sobre a relva, sob o sereno abundante
que descia sobre o sentimento abandonado ao relento noturno,
mas caminhava... 
Havia um silêncio ecoando sob o abrigo do luar,
que sempre fora companheiro  do amor nos devaneios humanos.

A solidão das noites escuras e sombrias, sedutoras de almas perdidas
no descompasso entre o amor e a paixão buscava refúgio nos morros,
agora disformes pela escuridão.
 O sol, cúmplice dos desejos ardentes, adormecera tranquilo,
 deixando um fio de luz ao luar para iluminar os amantes,
preenchidos pelo amor. Mas o amor estava perdido, desatinado.

Naquela noite o amor se desfazia
 sem as mãos que o guiavam,
sem os braços que o protegiam,  
sem os lábios que o proferiam,
sem os corpos que o concretizavam,
sem a paixão que o conduzia,
sem os sussurros que o embalavam,
sem as promessas que o reviviam,
sem as palavras que o descreviam...

Naquela noite o amor se perdeu. Mas o luar estava lá!

krika 31/10/2011 

Um comentário:

Deixe seu comentário, sugestão, dicas, blog se alimenta de comentários..rsrs
Se não encontrar a opção de postagem escolha Anônimo e deixe seu nome no comentário!!!
Mas lembre-se, recados ofensivos não serão admitidos!!